Papo de Natureba: Hortas Comunitárias e outras iniciativas

Cada dia que passa, ouvimos e vemos diversas iniciativas que transformam nossa cidade, as pessoas, a relação com espaço público, a relação com a natureza, enfim, muitos de nos tem despertado para agir e transformar, ao invés de reclamar e encontrar pontos negativos sem nada propor.

Aqui no espaço Prana, na parte da frente, fora do quintal, temos plantas medicinais, flores, as vezes alimentos, pois felizmente vemos diariamente pessoas parando para admirarar ou para colher, sozinhas, com bebês, com cachorros, idosos, jovens, mãe e filho, enfim, é muito bonito ver isso.

Uma historias que gostaria de compartilhar, ontem saindo do espaço, encontrei com uma senhora que todo dia passeia com seu amigo cão, e ela disse que “as plantas estão bonitas, mas você pensam em plantar o repolho de novo? era tão lindo, eu passava todo dia e ficava olhando ele!” foi fantástico ouvir aquilo e saber que um dia alguma outra pessoa que admirava foi ali e colheu, e sim, esta é a ideia! e apos eu responder que logo vamos plantar mais alguns alimentos ela sugeriu, “poderiam plantar cebolinha e salsinha”, e com certeza vamos fazer isso 🙂

Repolho.jpg

Ha algum tempo não víamos iniciativas como a nossa, mas bastou um dia uma caminhada atenta por nossa região, e vimos muitas delicadezas, plantas cultivadas para serem apreciadas por quem quisesse (pancs, medicinais, amoras, etc), a vida gerando vida, e unindo humanos, pássaros e outras especies, gerando um sistema mais harmônico…

Compartilho uma matéria de jornal para inspirar a todos nos ações, por menores que sejam, mas são ações e isso transforma. União da comunidade em prol de ações como esta só podem trazer bons frutos. E como esta escrito numa plaquinha que a Lu pintou e esta la junto as plantas, perto de onde o repolho ficava (…rs), as palavras de Gandhi: “seja a mudança que você quer ver no mundo”

Jardim Prana: amoreira

Untitled design (15).jpg

Aqui no jardim Prana temos uma amoreira, ainda na infância, mas que ja participa da elaboração de nosso sucos verdes.

As folhas da amoreira são conhecidas e utilizadas em tratamentos para equilíbrio hormonal, por exemplo, na menopausa, e encontramos um complemento a esta informação no livro “fitoenegetica” de Bruno Gimenes, tais como equilibra humor durantes a TPM, e criar vitalidade para o corpo produzir substancias naturais do organismo que, com avanço da idade, ficam escassas e necessitam ser repostas.

Jardim Prana – Chuchu

Jardim Prana- Chuchu.jpg

segundo Kinupp em sua obra “plantas alimentícias não convencionais (pancs) no Brasil”: “o Chuchu é cultivado em muitos países tropicais para a produção de frutos destinados ao consumo, hábito este pré colombiano, iniciado pelos astecas no Mexico”. Além do fruto, podemos comer os brotos e raíz.

Em nosso quintal fomos presenteados com muitos chuchus, como vocês verão nas fotos, e parte da colheita vamos utilizar no próximo sábado (dia 7/5) na Feira O mundo vegano, onde vamos ensinar o Suco Verde. Mais informações no https://pranartes.wordpress.com/2016/05/05/suco-verde-na-feira-o-mundo-vegano-ii-edicao/

sexta no papo de natureba, vamos falar um pouco dos benefícios do Chuchu para saúde, incentivando a inclusão em nossa dieta, e como sugestão no suco verde.

Lembramos que temos a venda em aqui no Espaço o livro  que citamos hoje, entrem em contato para mais informações.

Papo de Natureba: Suco de Luz do Sol (I)

Desejamos a todos um Bom Dia, Suco verda e saúde. (2)

Papo de Natureba: Suco de Luz do Sol

Suco de Luz, Suco verde selvagem, Leite da Terra, entre outras definições, estamos falando da mesma coisa ou semelhantes… um néctar delicioso e curativo, repleto de nutrientes, vitaminas, enzimas, fitoquímicos, hormônios, prana, etc…

Nosso dia começa colhendo plantas no quintal, celebrando mais um dia que começa, interagindo com a natureza, com a vida, e agradecendo toda cura, vitalidade e nutrição que a Mãe Terra nos oferece, através de seus frutos… este Suco traz toda energia vital luminosa, fótons de Luz, concentrados e absorvidos pelas plantas…

Nossa opção é pelo uso das PANCS (plantas convencionais não convencionais) que dia a dia vamos aprendendo a identificar, se você não tem quintal, vai encontra-las na rua, na casa do vizinhos, elas estão em todos os lugares… e se você tiver vasos de plantas em casa, lá elas vão aparecer também, o importante é aprendermos a reconhece-las, e não mais acreditar que são ervas daninhas, matos indesejáveis, conforme conhecimentos tradicionais e antigos, as plantas que precisamos nascem bem perto, é a inteligencia e auxilio de nossa Mãe Terra sempre disponibilizando o que necessitamos.

nesses mais de 10 anos ministrando cursos de alimentação natural, muita coisa foi mudando na prática (pois o curso esta sempre se alinhando com o que temos prática e vivenciado), mas o suco verde nunca saiu do foco, pois realmente este conhecimento é uma importante ferramenta para nossa manutenção da saúde e mesmo de expansão da consciência e reconexão com a Natureza.

Não temos uma receita fixa do suco, mas seguindo determinadas diretrizes com relação a combinação e compatibilidade dos ingredientes, para não diminuir potencial, utilizamos o que temos disponível em casa… o de hoje levou:

  • 6 limões
  • 2 batatas yacon
  • 2 chuchus
  • 1 pedaço de gengibre
  • 1 cenoura
  • 2 “punhados” de Amendoim germinado
  • folhas de abobora, trapoeraba, folha de amoreira

O amendoim ficou de molho por 10 horas, tirei a água e lavei bem. Extrair o sumo dos limões e bater no liquidificador todos ingredientes, exceto as folhas verdes e o gengibre, e coar com voal e separar a polpa (esta polpa pode ser aproveitada em receitas, ou para complementar a alimentação dos cães, fica a dica e elas adoram)… para auxiliar este processo inicial ja que temos pouco liquido, com auxilio do bio-socador que nesse caso é a cenoura, também pode ser acrescentado água de coco fresca (não de caixinha!), o que fazemos quando tem disponível. . Colocar o liquido novamente no liquidificador e bater com o gengibre e as folhas. Esta segunda polpa, vai para compostagem. Obs.: aqui na lojinha espaço temos voal a venda.

Segue um vídeo da querida Trucom, para aprofundarmos o estudo de hoje… lembrando que no espaço sempre temos a venda e para empréstimo na biblioteca Prana, os livros da Conceição Trucom, e recomendamos frequentarem o site “doce limão”, que um portal de sabedoria que muito admiramos e recomendamos.

http://www.docelimao.com.br/site/entrevistas/video/2021-video-oficina-suco-verde-selvagem.html

Vamos continuar falando desses assuntos em outro bate papos, sobre suco de luz e Pancs.

Saúde a todos… a Vida vem da Vida _/|\_

 

Erva Doce

Arruda (5)

Quarta Jardim Prana apresenta: Erva Doce

De acordo com Bruno Gimenes a Erva doce promove otimismo, aumenta a coragem, diminui ansiedade. Quando utilizada antes de dormir induz uma leve sonolência.

A erva-doce pode ser utilizada para tratar dor de barriga, indigestão, inchaço, acidez estomacal, asma, bronquite, espasmos, cólicas, dor de barriga, dor de cabeça, inflamações, tosse, gases, palpitações, inchaço, gripe, resfriado, catarro e coriza.

A erva-doce possue ação expectorante, cicatrizante, calmante, diurética, sudorífica, e antiespasmódica.

Jardim Prana: Arruda

Arruda

A planta do Jardim Prana que vamos compartilhar nesta quarta feira é a Arruda!

A arruda é uma planta popularmente conhecida por espantar o mau olhado, ela tem efeito sob os vasos sanguíneos, cistos e pode ser utilizada como inseticida.Quando aplicada em uma forte dose pode ser usada como mata piolhos assim como o pó das folhas secas serve para o mesmo fim.
A arruda é uma planta muito ativa, deve ser usada com muito CUIDADO quando for ingerida. Seu uso deve ser cuidadosamente administrado.
A arruda é contraindicada para grávidas.